segunda-feira, 26 de outubro de 2015

CURSANDO "ESCREVA SUA HISTÓRIA": ATIVIDADE #07 - MINICONTO

Hail!

Seguindo o mini-curso "Escreva Sua História", realizado pelo roteirista Fábio M. Barreto, vou compartilhar o resultado do último exercício que fiz, que traz a seguinte proposta:

"Escreva um miniconto, no gênero da FANTASIA, com apenas um parágrafo, com, no máximo, 10 linhas (de acordo com o espaço dessa postagem). É preciso demonstrar um arco dramático, ou seja, de algum modo, ter começo, meio e fim".

Fiquei um pouco na dúvida sobre a quantidade de texto a apresentar, uma vez que o número de palavras numa linha pode variar dependendo de onde se escreva (e leia). Resolvi redigir o material num arquivo .doc com tamanho 12 e margens 2,5. Eis:

>>>

Érica chegou ao porto, passou por alguns homens que a olharam obscenos, comprou um bilhete e embarcou. Encontrou seus amigos, membros de sua reserva indígena. Após os cumprimentos saudosos, a embarcação partiu. Os grosseirões do porto os abordaram com armas na mão, eram matadores, contratados para matar os líderes da comunidade. Agarraram Érica, a tocaram, eles não a matariam de imediato. - Não nos matem, por favor! - Ela disse. Sua voz ecoou na mente dos matadores e eles exitaram. - Eu faço o que vocês pedirem! - Cada palavra era acompanhada por um sussurro sibilante. A soltaram. Ficaram fascinados, entorpecidos. - Vocês me desejam e eu vou dou o que quiseram. - Ela pulou para o rio e eles a seguiram. Para a morte. A embarcação prosseguiu, algumas crianças avistaram um lindo boto, mas o grupo de índios presente sabia que a Iara os seguia.

>>>

O primeiro desafio aqui foi apresentar a história em si, algo simples e logo descobri que até um conto simples pode ser complicado escrever quando sua mente quer forçar algo mais complicado, com mais nuances e informações... O que me levou ao segundo desafio: terminada a história, eu teria que enxugá-la. No fim da primeira versão eu tinha 5 linhas excedentes e teria que cortar as palavras certas para que eu não perdesse a essência do que eu queria contar. Senti que há uma certa força que faz com que nos apeguemos as palavras no texto, que nos faz lutar contra os cortes necessários.

Por fim, senti que consegui "emagrecer" o conto nas partes certas, deixando o que tinha que ser deixado e não senti nenhuma perda devido aos cortes.

É isso. A demanda segue. Que as musas nos favoreçam!

MWXS