domingo, 5 de julho de 2015

DIÁRIOS DE ÓCULOS - A CONSCIÊNCIA DIVINA DO HOMEM

Deus deu ao homem o livre arbítrio para que por sua conta encontrasse o caminho até ele... Através do mundo, entre o dia e a noite, verão e inverno.

Os homens não deveriam usar seu nome em vão, usando palavras escritas num livro, tinta em papel, a ferro e fogo, dando valor à palavra ao invés da obra, pervertendo bem ao mal.

Somente a consciência deve guiar as mãos do homem, não sua língua. Apenas sabedoria o põe no caminho da criação, não as palavras repetidas pela tradição de homens idos.

A obra de deus é uma só, não importa que credo sigamos. Ele nos fez à sua imagem, cada um de nós, para encontrá-lo basta procurarmos num simples espelho. Nossa ciência é sua expressão, assim como a chuva ou um dia de sol.

Todos os caminhos nos levam até ele e apenas este caminho, que é a vida que vivemos neste mundo de terra, água, ar e fogo, nos mostrará como enxergar nosso destino. Desde o nascimento até a morte, o caminho de um homem é marcado por deus através das escolhas que ele faz e as consequências que terá de lidar, yin e yang, a expressão karmica do universo sobre o indivíduo como o livre-arbítrio é a expressão do homem sobre o universo. Assim sendo, não caberá a qualquer homem julgar outro de sua espécie. Apenas deus, o destino, tem esse direito.

Eu tenho esperança de que um dia o amor seja recompensado com mais amor. Eu tenho esperança de que o ódio encontre luz e misericórdia antes de se encontrar com uma repreensão divina de igual poder como a qual despejam sobre os alvos de seus dedos acusadores e suas línguas cheias de veneno e tão pouco dotadas da compaixão e compreensão do verdadeiro deus do céu e da terra, da qual dizem seguir tão fielmente.

GABRIEL W. TUDOR

>>>