quarta-feira, 23 de março de 2011

cartas para yaya (24.março.2011)

para Y.

ha tanto que nao escrevo para voce que me sinto envergonhado... como o tempo pode passar tao rapido e derepente alguem pode se ver com tao pouco para si mesmo?

sim, porque a ausencia destas palavras escritas tao necessarias nao trata-se de displicencia em relaçao a voce, mas uma profunda falta para comigo mesmo, com meus sentimentos e com meu proprio espirito!

como alguem pode deixar tal chama esquecida durante tanto tempo em algum canto do coraçao? nao conseguirei achar nenhuma resposta. ao menos nenhuma que tenha algum valor ou que faça certo sentido...

mas agora caminho por trilhas tortuosas quando encaro arduamente a puniçao por minhas falhas: espelhos de meus pecados contra meu proprio animo! e agora, vendo-me testado e forçado e cogitar um futuro sem voce, meu peito queima de dor e enche-se de pranto quando finalmente soh resta um vazio opressivo.

destruida minha alma, meu amor dado para ti e o recebido em troca de forma tao sublime, nao me resta mais nada a nao ser tentar renova-lo na promessa de uma nova epoca. uma nova chance. uma nova caricia com uma bela tarde como cumplice de nohs dois.

porque nosso amor tem a tarde como patrona, pois a noite nunca serah tao escura, quando cada sorriso teu enche meu coraçao de luz. cada momento da tua empolgaçao compartilhada comigo eh um sol radiante a explodir diante das minhas retinas.

eis o momento de pedir desculpas. para ti ou para mim? muito provavelmente para ambos.

soh sei do meu amor, do caminho que ele me revela e dos passos que eu devo seguir.

e por ti nao desviarei deles por mais nenhum instante perdido.

eu te amo.

-M