sábado, 1 de novembro de 2008

cartas para yaya: sobre linhas tortas...

para Y

escrevo estas linhas tortas, para retratar o obvio dentro de mim...

e quem me ve, como nao poderia perceber o quanto tu me transformou?

nao ha nada em meu cotidiano em que tu nao esteja lah: seja implicita ou explicita.

quando nao falo sobre ti, falo para ti. e assim meus dias todos se sustentam.

o resto da minha vida eh pouco para viver ao teu lado.

algo pulsando do lado esquerdo do meu peito nao me deixa mentir: eu te amo, yaya.

quero construir grandes torres, feitas de sonhos... e realidade. e cada tijolo e eter que for usado para constui-la, nos conduzirah ateh um ponto mais alto

maior que tudo.

maior do que nohs dois.

e de lah olharemos um mundo. o nosso mundo. e toda nossa felicidade que o permeia, semeado em lagrimas e caricias. e chuva!

cada gota um pensamento bom!

e eu imagino, com um calor indecifravel no coraçao, o que poderemos colher deste mundo.

de sonhos... e realidade.

fica bem, yaya.

-M

ps: eu te amo!