terça-feira, 9 de setembro de 2008

cartas para yaya: uma noite sozinho

para Y

nesta noite eu nao a verei...

a garganta aperta, engulo seco.

o coraçao fraqueja, morro durante algumas fraçoes de segundo.

praguejo contra os dados crueis do destino, o deus manipulador.

acredite... ficar uma noite sem estar do teu lado me faz tanta falta quanto a propria vida que move este corpo feito de carbono e agua.

percebo a cada dia que nao posso ficar sem ti, nem por uma noite... nem por ESTA noite!

preciso de ti, pois nao vejo outro caminho senao o que me leva ateh a tua figura sublime. tu eh meio e fim. motivaçao e ambiçao.

quero te amar ateh o dia em que demorarem meus dias sobre esta terra de deuses, herois e monstros.

e vou te amar.

durante cada segundo.

e mais ainda quando o relogio estiver apontando hora exata.

e mais ainda quando o relogio estiver apontando qualquer outro momento.

esta noite nao a verei... a garganta aperta, o coraçao fraqueja.

praguejo contra os crueis dados de um deus chamado destino...

-M